27 de fev de 2011

A vontade de Deus



Quando falamos sobre a vontade de Deus, é interessante que a maioria das pessoas, dizem que querem fazê-la. Ninguém diz que tem dificuldade em executá-la, mas tem dificuldade em saber qual é essa vontade. No tocante a mim, eu digo que tenho muito mais dificuldade em fazer a vontade de Deus, do que saber qual é a vontade de Deus. A minha percepção é que falamos muito e fazemos pouco, no tocante à vontade de Deus.

Considerações sobre a vontade de Deus.

Primeira – por ela, define se somos filhos.
Aqueles que fazem a vontade de Deus são chamados de irmãos do Senhor, ou seja, fazem parte da família de Deus. Mc 3:35. Aqueles que fazem a vontade de Deus é que entrarão no reino dos céus, ou seja, são os filhos de Deus . Mt 7:21.

Segunda – é o mais importante de nossas vidas.
 Quando os discípulos de Jesus estavam insistindo para Ele comer, o Senhor disse que Ele tinha uma comida que eles não conheciam. Essa comida era fazer a vontade de Deus. Dessa forma, Jesus colocou a vontade de Deus acima de qualquer coisa, pois, comida é algo essencial para sobrevivermos. No conceito de Jesus, a sobrevivência Dele dependia de fazer a vontade do Senhor. Jo 4:34.

Terceira – todos os que são alinhados com Deus, fazem a Sua vontade.
Em atos, o apóstolo Paulo disse que Deus estava procurando um homem que tivesse o Seu coração, para que pudesse fazer toda a Sua vontade. Ele achou Davi. At 13:22.

Quarta – é insensatez não fazer a vontade de Deus.
Como a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Rm 12:2), não fazê-la é insensatez. Ef 5:17.

Quinta – conquistar as promessas de Deus, depende de fazer a Sua vontade.
As promessas de Deus, em sua maioria, dependem de perseverarmos na vontade de Deus. É necessário vencermos os inimigos da promessa: o diabo, a carne e o mundo. Somente quando ficamos completamente amalgamados na vontade de Deus, é que temos vitórias sobre nossos inimigos. Hb 10:36.

Consequências de não fazer a vontade de Deus.

Esforço inútil – podemos trabalhar muito e ainda assim, não conquistarmos o que desejamos. É como se nadássemos, nadássemos e morrêssemos na praia. A palavra de Deus diz que é inútil o trabalhador acordar cedo e trabalhar, se esforçar e insistir em conquistar coisas, se Deus não o estiver abençoando. Sl 127:1-2.

Sentimento de erro – quando nos convertemos, o Espírito Santo vem e é amalgamado em nosso espírito. A partir daí, o nosso espírito percebe toda a vontade de Deus para nós, através da consciência. Deus sempre fala conosco, através do Espírito Santo em nosso espírito. Por isso, quando nós não estamos na vontade de Deus, algo no nosso interior (o nosso espírito é a coisa mais interior que temos) clama por mudança, daí esse sentimento de erro.

Perdas – todas as vezes que saímos da vontade de Deus, há algum tipo de perda em nossas vidas. Sejam elas no casamento, na família, nas finanças, nos relacionamentos, ou ainda na saúde. O fato é que seremos roubados pelo diabo, que vem para matar, roubar e destruir (Jo 10:10), porém dentro da vontade de Deus, ele não consegue fazer isso. Quando saímos, somos presas fáceis para o diabo.

Cansaço – nós fomos criados para um determinado propósito, e quando estamos fazendo outras coisas fora desse propósito, há cansaço de alma. O cansaço de alma é aquele que não adianta dormir, ele não passa. Por isso Jesus disse que, aqueles que estão cansados devem procurá-lo para terem suas vidas mudadas, pois o fardo de Jesus é leve e suave. Mt 11:28-30. Ou seja, o que Deus tem para mim e para você, em hipótese alguma cansa. Se há cansaço é porque está fazendo a coisa errada, ou está fazendo com o motivo errado. Em Is 40:31, o Senhor diz que aqueles que esperam em Deus não se cansarão, ainda que andem ou corram, terão suas forças renovadas.

Pré-condições para ouvir a vontade de Deus.

Novo nascimento – quem não nasceu da água e do Espírito (Jo 3:5) terá muita dificuldade de ouvir a voz de Deus, pois não tem a mesma natureza. Deus estará falando e ele não entenderá. As novas criaturas tem, normalmente, facilidade em ouvir o Senhor.

Sinceridade – a razão de saber a vontade de Deus é determinante para ouví-Lo. Para que a pessoa quer ouvir Deus? Para fazer ou para julgar a Sua vontade? Tem pessoas que querem saber a vontade de Deus para saber se farão ou não. Essas nunca ouvirão o que Deus tem para elas. Porém aquelas que verdadeiramente querem cumprir vontade de Deus, o Senhor as responde.

Cumprir o que já foi dito – quando alguém busca a vontade de Deus e ainda não fez, o que Ele falou antes, não vai ouvir novamente a voz de Deus. Porque Deus falaria novamente, se a pessoas não tem disposição de fazer o que vai ser dito? Em Lc 6:46-49, Jesus aborda esse assunto e ainda chama essas pessoas de insensatas.

Sensibilidade – é necessário sensibilidade ao Espírito Santo para ouví-Lo. Essa sensibilidade é resultado de uma vida santa, íntima de Deus, com sentimentos controlados pelo Espírito e cheia da palavra de Deus. Se há pecados, com certeza seremos insensíveis à voz do Espírito. Se não há intimidade, como conheceremos a voz de Deus? Se somos dominados por sentimentos contrários à palavra de Deus, os nossos ouvidos estarão fechados para Ele. Quando não conhecemos a palavra de Deus, somos presas fáceis para o diabo nos enganar usando a voz de Deus como se fosse Ele. Porém, quando conhecemos a Sua palavra não é possível sermos enganados.

Testes para saber se é a vontade de Deus

Primeiro – Convicção.
Toda vontade de Deus, gera em nós, uma convicção interior. Às vezes você não sabe explicar, mas sabe o que deve fazer. Normalmente quando acontece isso, é a vontade de Deus. Não podemos confundir convicção com obsessão, com obstinação. Isso é maligno. Uma boa forma de diferenciar as duas coisas, é que a obsessão não tem amparo na palavra de Deus e a convicção da vontade de Deus, sempre está amparada na palavra. Jesus, em Lc 9:51, expressava uma firme convicção de ir para Jerusalém. Era da vontade de Deus que ele morresse lá. Por isso, a convicção de ir para lá. Não há vontade de Deus, que não comece com uma convicção interior.

Segundo – Harmonia com a vontade escrita.
 Toda vontade de Deus que começa com uma convicção interior, tem que ter amparo na palavra de Deus. A bíblia é a vontade de Deus escrita. Como Deus é perfeito e não muda nunca, justamente por ser perfeito não há necessidade de mudança, qualquer coisa que pensarmos que é a vontade de Deus, obrigatoriamente, tem que harmonizar com o que Deus já falou antes. Não abra mão em hipótese alguma desse teste. De vez em quando, chega uma pessoa solteira e me diz que tem uma convicção que uma determinada pessoa será seu cônjuge. A primeira pergunta que eu faço é: essa pessoa é crente? Quando a resposta é não, eu logo digo: essa convicção não é da vontade de Deus. Porque eu posso afirmar isso? A vontade de Deus escrita, a bíblia, diz que casamento só pode ser feito com pessoas da mesma estirpe. Um incrédulo, ainda não se tornou uma nova criatura. Mas, e se ele se tornar? Então espere isso acontecer.

Terceiro – Paz.
 Em colossenses 3:15ª, a palavra de Deus diz que seja a paz de Cristo o árbitro de vosso coração. Árbitro é juiz. Quando o juiz de uma partida de futebol apita, o que os jogadores fazem? Eles param até que o juiz decida o que fazer e somente depois, eles continuam. Assim deve ser quando perdemos a paz de Cristo, devemos parar e só continuar depois que ela voltar aos nossos corações. Essa é uma forma direta de percebermos a vontade de Deus ou de testarmos se algo é de Deus ou não. Jesus, quando chegou no Getsêmani, disse aos Seus discípulos que Sua alma estava angustiada até a morte. Qual a razão dessa angústia? Ele estava pensando em outra forma, que não fosse a cruz, para resolver o problema do homem. Mas Deus já tinha definido que a única forma de resolver a questão era indo para a cruz. O simples fato de Jesus pensar em outra coisa, que não fosse a vontade de Deus, já O deixou completamente angustiado. Tão logo Ele concluiu que não havia outra forma e ajustou-se a fazer a vontade de Deus, a paz voltou ao Seu coração. Se isso aconteceu a Ele, imagine conosco.

Quarto – Harmonia com os conselheiros.
 Em Pv 12: 15 e 15:22, a palavra de Deus diz que sem conselhos os projetos naufragam. É melhor aconselhar-se, antes de fazer algo, para que tenha bom êxito no projeto proposto. Em nossas vidas, Deus levanta pessoas para andarem conosco. São pessoas que Deus preparou para falar em nossas vidas. Essas pessoas precisam ser envolvidas em nossas decisões. Quando temos uma convicção que passou pelo teste da palavra e da paz, é necessário que passe também por esse teste. Se Deus falou com você, não falará também com aquele que Ele mesmo levantou para te apoiar na caminhada Cristã? Não estou dizendo que você deve ficar falando com qualquer pessoa, estou dizendo que você sabe quem Deus levantou para falar na sua vida. É importante ouvir essa ou essas pessoas, e ter harmonia com elas. Não são elas que decidirão sua vida, é você mesmo quem fará isso, porém ande em harmonia.

Quinto – Confirmação.
Depois de passar por esses quatro testes, você pode concluir o período de testes com a confirmação. A confirmação é algo que vai acontecer com você, que dará certeza absoluta se é ou não a vontade de Deus. Pode ser uma palavra profética, um sonho ou algo que você pediu a Deus que acontecesse, caso aquilo fosse da vontade Dele.  Não abra mão desse teste.

Conclusão

Não podemos ter dúvidas das coisas que vamos fazer. Normalmente, as dúvidas destroem nossas vidas. Quando decidimos algo, ainda que seja a vontade de Deus, e começamos a executar, com certeza haverá dificuldades, adversidades e coisas do gênero. A certeza de que estamos fazendo a vontade de Deus é que nos impulsionará a vencer essas tribulações. Se faltar essa certeza, nós vamos parar nos problemas e nunca terminaremos nada.
Você não quer ter uma vida de fracassos, quer? Então, antes de começar qualquer coisa, tenha certeza de que Deus está nisso.

Amém ?

21 de fev de 2011

Barreiras Para as Resposta de Nossas Orações


Sabemos que Deus não rejeita oração!

Todas orações chegam ao trono de glória e são ali depositadas em taças de ouro como um incenso agradável ao Senhor (Ap 5:8)
.
 Tenho observado que freqüentemente Deus nos responde com: Sim, Não ou Espere!
Para todas as nossas orações sempre tem uma resposta, ainda que não seja aquela que nós desejávamos. As promessas de Deus são condicionais. Para que alcancemos respostas positivas às nossas orações, há todo um caminho de obediência e soberania divina. Deixaremos aqui alguns tópicos para seu estudo pessoal, sobre os inimigos da oração. Estude-os e certamente lhe trarão muita luz.
 "Para que não se interrompam as vossas orações." l Pedro. 3:7b.

1. Relacionamentos errados na família (I Pe 3:1,7). O não cumprimento dos deveres dos cônjuges um para com o outro, impede o fluir das orações. A vida conjugal deve ser posta diante de Deus. Quando as orações não estão sendo respondidas, pode haver falha no relacionamento.

2. Dificuldade em perdoar (Mc 11:25). Nossas citações são ouvidas na base de que nossos pecados estão perdoados; mas Deus não pode tratar conosco sobre tal base de perdão, enquanto nós guardamos o mal, o espírito de animosidade ou de vingança contra aqueles que nos ofenderam. Qualquer que guarda espírito de rancor ou mágoa contra alguém, fecha os ouvidos de Deus para sua própria petição.

3. Contenda e Insubmissão (Tg. 3:16). A contenda é simplesmente agir movido pela falta de perdão. Paulo declara que por causa de contendas Satanás pode tornar cristãos prisioneiros de sua vontade. A ausência de contenda é a chave para afastar a confusão e o mal. Dê a Deus a oportunidade de criar um sistema de harmonia em volta de você e sua vida de oração começará a funcionar.

4. Motivação errada (Tg. 4:3). Um sério obstáculo à oração é pedir a Deus coisas que realmente não necessitamos, com o propósito de satisfazer desejos egoístas. "Quer comais, quer bebais, fazei tudo para a glória de Deus" (I Co, 10:31).
Podemos orar por coisas em linha com a vontade de Deus, mas se o motivo for errado, não haverá resposta. O propósito primeiro da oração deve ser a glória de Deus.

5. Todas as formas de desobediência (Is. 59:1,2). Uma atitude de rebeldia ou desobediência à Palavra de Deus fecha os Céus para nós. Qualquer pecado inconfessado torna-se inimigo da oração. Uma vida de obediência, porém, abre o caminho à resposta de Deus "e aquilo que pedimos, d'Ele recebemos, porque guardamos os Seus mandamentos, e fazemos diante d'Ele o que Lhe é agradável" (1 Jo. 3:22).

6. Ídolos no coração (Ez, 14:3). Ídolo é toda e qualquer pessoa ou coisa que toma o lugar de Deus na vida de alguém. É aquilo que se torna o objeto supremo da afeição. Aquilo que mais ocupa o nosso pensamento. Deus deve ser supremo em nossa vida.

7. Falta de generosidade para com os pobres e o trabalho de Deus (Pv. 21:13). A recusa de ajudar o que se encontra em necessidade, quando podermos fazê-lo, impede a resposta às nossas orações.

8. Dúvida e incredulidade (Tg, 1:5-7). A dúvida é ladra da bênção de Deus. A dúvida vem da ignorância da Palavra de Deus. A incredulidade é quando alguém sabe que há um Deus que responde às orações, e ainda assim não crê em Sua Palavra. E não crer nas promessas é duvidar do caráter de Deus.

9. Apenas leituras sobre oração,mas nada de Orar. A oração é a maior e mais santa das vocações. Saber sobre oração não garante a resposta, mas o pôr a Palavra em operação para receber de Deus aquilo que Ele prometeu.

10. Falta de entendimento da nossa posição em Cristo. Talvez esse seja o maior inimigo. Ignorância quanto aos privilégios e direitos de redenção, isto é, daquilo que Cristo é em nós e do que somos n'Ele. Um desconhecimento da extensão do que Ele fez por nós e direitos, outorgados em Graça, diante do Trono.

11. Uma confissão errada (Rm, 10:9). O Cristianismo é uma grande confissão. Confissão é o reconhecimento verbal do que Deus fez por nós em Cristo (Hb. 3:1; 4;14). Toda confissão dos nossos lábios deve refletir a Palavra de Deus. As confissões em desarmonia com ela estão na origem de muitas orações não respondidas
.
12. Depender da fé do outro. A cada crente Deus deu uma medida de fé. Ela veio quando nos tornarmos uma nova criação em Cristo e recebemos a natureza de Deus.
Assim como desenvolvemos nossas capacidades físicas e mentais pelo exercício, desenvolvemos nossa fé pelo alimento da Palavra de Deus (Jo. 15 : 7).

Amém ?

17 de fev de 2011

Espiritualidade fora de foco


 
         O texto de Lucas 9.28-45 relata a experiência de Jesus subindo o Monte da Transfiguração a fim de orar. Levou consigo Pedro, Tiago e João enquanto os outros discípulos ficaram no sopé do Monte. Tanto os discípulos que subiram o monte com Jesus quanto os que ficaram no vale não oraram. Os que subiram entregaram-se ao sono e os que ficaram no vale travaram uma infrutífera discussão com os escribas. Desse episódio extraímos dois tipos de espiritualidade, ambas fora de foco.
 
  • A espiritualidade do monte, o êxtase sem entendimento. Pedro, Tiago e João subiram o monte com Jesus, mas eles não oraram como Jesus nem com Jesus. Ao contrário, eles dormiram. Eles viram milagres extraordinários: Moisés e Elias glorificados, Jesus transfigurado em glória, uma nuvem luminosa e uma voz divina reafirmando a filiação de Jesus. Eles pisaram o terreno do sobrenatural, mas estavam desprovidos de entendimento. Ao mesmo tempo que viam coisas maravilhosas, suas mentes estavam vazias de discernimento. Eles não discerniram a centralidade da pessoa de Jesus. Não discerniram a centralidade da missão de Jesus. Não discerniram a centralidade da missão deles mesmos. A ausência de oração roubou-lhes o discernimento e essa falta de discernimento os levou a ficar com medo de Deus, em vez de se deleitarem em Deus. Há muitos que ainda hoje buscam as coisas sobrenaturais, mas estão sem percepção espiritual. Correm atrás de milagres, mas não discernem as verdades essenciais da fé cristã. Experimentam êxtases arrebatadores, mas não compreendem nem mesmo os fundamentos do cristianismo. Essa é uma espiritualidade fora de foco, deficiente, trôpega, que produz sono e não intimidade com Deus.
  • A espiritualidade do vale, a discussão sem poder. Os nove discípulos que ficaram no sopé do monte também não oraram. Ao contrário, eles se envolveram numa discussão com os escribas (Mc 9.14). Nesse ínterim, um pai aflito, com um filho endemoninhado roga a esses discípulos para socorrer seu filho, mas os discípulos não puderam. Eles estavam desprovidos de poder. A espiritualidade deles era a espiritualidade da discussão sem poder. Em vez de orar e jejuar, eles discutiram. Em vez de fazer a obra de Deus, eles discutiram acerca da obra. Em vez de manterem-se fiéis à sua vocação, perderam o foco do ministério numa vã discussão com os opositores de Jesus. Enquanto aqueles discípulos estavam discutindo, o diabo estava agindo. Porque não oraram nem jejuaram estavam vazios de poder e porque estavam vazios de poder não puderam expelir a casta de demônios que atormentava o filho único daquele pai aflito. Ainda hoje, corremos o risco de perder o foco do nosso ministério. Deus nos chamou para o buscarmos com todas as forças da nossa alma. Oração precede ação. Nossa maior prioridade não é fazer a obra de Deus, mas ter intimidade com o Deus da obra. Muitas vezes deixamos de orar e de trabalhar porque estamos envolvidos em discussões intérminas e infrutíferas. Discutimos muito e trabalhamos pouco. Fazemos muito barulho com nossas palavras, mas produzimos pouco com as nossas mãos. Se o êxtase sem entendimento é uma espiritualidade fora de foco, o é de igual modo, a discussão sem poder.

         Concluo, dizendo que Jesus é o nosso modelo.
        
Ele demonstrou três atitudes que corrigem o foco da espiritualidade.
 Sua espiritualidade foi evidenciada por oração, obediência e poder.
 Porque orou seu rosto transfigurou.
 Porque orou, desceu do monte determinado a cumprir o propósito do Pai, indo para a cruz como um rei caminha para a coroação.
 Porque orou estava cheio de poder para libertar o jovem possesso.
      
 É tempo de realinharmos nossa vida espiritual pelo foco de Jesus!

      Amém?

16 de fev de 2011

Um Jeito Diferente de Olhar para o Salmo 23


O Senhor é o meu Pastor,
Isto é relacionamento!

Nada me faltará.
Isto é suprimento!

Caminhar me faz por verdes pastos,
Isto é descanso!

Guia-me mansamente a águas tranqüilas.
Isto é refrigério!

Refrigera a minha alma.
Isto é cura!

Guia–me pelas veredas da justiça,
Isto é direção!

Por amor do Seu nome.
Isto é propósito!

Ainda que eu caminhasse pelo vale das sombras da morte,
Isto é provação!

Eu não temeria mal algum,
Isto é proteção!

Porque Tu estás comigo,
Isto é fidelidade!

A tua vara e o teu cajado me consolam.
Isto é disciplina!

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos.
Isto é esperança!

Unge a minha cabeça com óleo
Isto é consagração!

E meu cálice transborda.
Isto é abundância!

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias de minha vida

Isto é bênção!

E eu habitarei a casa do Senhor
Isto é segurança!

Por longos dias.
Isto é eternidade!


O que é mais valioso não é o que nós temos em nossas vidas, mas QUEM nós temos em nossas vidas!

9 de fev de 2011

Esperança em Deus que nos renova


Vivemos em um mundo de pessoas sem esperança mesmo tendo ouvido varias coisas relacionadas a ela,ditados populares como “a esperança é a ultima que morre”,ou “quem espera sempre alcança” e vários textos da bíblia sobre esperança como Pv 14:32, “O justo,ainda morrendo,tem esperança”,
1 Co 15:19 “Se a nossa esperança em Cristo se limita a esta vida,somos os mais infelizes de todos os homens’’ além destes há um texto em Is 40:31 que diz: “Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças,sobem com asas como águias,correm e não se cansam,caminham e não se fatigam”.
 Muitos problemas que enfrentamos no dia-a-dia nos tira a esperança e as forças para a caminhada,são problemas relacionados ao pecado que tenazmente nos assedia,são enfermidades crônicas ou agudas enfrentadas por nós ou por quem amamos tanto,são problemas de ordem financeira devido ha uma má administração ou uma crise que afeta a maioria. Outros perdem a esperança por terem dificuldades de relacionamentos, muitos sentimentos não resolvidos como remorso,amargura,ódio,inveja,auto-estima baixa,sofrem por terem dificuldade de perdoar,por desejos incontroláveis sempre presentes,por vícios ,por medo quanto ao presente, ao futuro e até o passado o amedronta,alguns perdem a esperança devido a frustrações pessoais,vocacionais e profissionais.
Devido a tudo isso que nos rouba e tira-nos as forças, há como ter esperança sim,
 o texto de Is 40:12,15,17,18,26 apresenta um Deus que é grande e que se interessa por nós,um Deus que tem atributos e que usa em nosso favor por sua graça,um Deus que o Vs 18 diz que é sem comparação e que ninguém pode opor-se a ele e continua a dizer que é grande em força e forte em poder,este texto de
 Is 40; 27 ,28 também apresenta um Deus que está atento com tudo que acontece conosco, diz que ele não se cansa e nem se fatiga, está sempre em alerta ao nosso favor é aquele mesmo que diz o salmo 121:4 “não dormita nem dorme o guarda de Israel”,os silêncios de Deus não indica que ele tenha nos abandonado, ele só esta esperando o tempo certo de agir em nós, Sl 33:18 “Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que temem,sobre os que esperam na sua misericórdia”, este texto de Is 40:29 apresenta um Deus que opera milagres, é um Deus que faz a partir do nada, multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor,isso é maravilhoso por que ele faz com qualquer um que tem a sua esperança no senhor.
Este texto de Is 40: 30,31 finaliza mostrando um Deus que nos deu uma carreira para seguir, tem muita gente na vida que estão perdendo o pique,o fervor ,o animo,a adrenalina e caindo na caminhada com muita facilidade, é porque estas pessoas tem esquecido que Deus nos deu uma Carreira para correr e isso tem que fazer a maior diferença e nos manter sempre constantes e firmes na caminhada.
O apóstolo Paulo era consciente disto, em Atos 20:24 ele diz “Porem em nada considero a minha vida preciosa para mim mesmo,contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus” o apóstolo Paulo completou sua carreira e no final da sua vida ele escreve a Timóteo uma carta e diz “combati o bom combate,completei a carreira e guardei a fé” é exatamente disso que precisamos , esperança em Deus que nos da força para a caminhada que é longa e difícil para que alcancemos nosso objetivo.

Que Deus abençõe.

8 de fev de 2011

De quem é essa batalha?




Você sabe qual é o verso do meio do Velho Testamento?
 É ll Crônicas 20.17: “Nesta batalha não tereis que pelejar”.

 Esse é um verso significativo – e não só porque é a parte do meio do Velho Testamento.
 É significativo pelo que diz de nós lutando uma batalha.
Com quem Deus está falando nessa passagem? Ele está falando com o rei Josafá e aos israelitas.
Eles estavam prestes a ser atacados por três inimigos: os filhos de Moabe, os filhos de Amon e os amonitas.
Não sei a seu respeito, mas não sou fã de uma briga de três contra um! Isso é ameaça tripla. Josafá com certeza estava preocupado em como poderiam se defender em tal batalha, mas Deus sabia que ele estava pensando. Ele disse: “Você não tem que lutar essa batalha”.
Agora, esse é o tipo de batalha que eu gosto! Se você não luta, você não se machuca.
O que Deus diz a Josafá nessa passagem e o que Ele nos recorda hoje é: “A batalha não é sua; é minha. Você não tem que lutar”. É problema de Deus. Deixe que Ele resolva.
A verdade é: se você é um filho de Deus, então os seus problemas são problemas dEle.
 E Ele é muito melhor em lutar as suas batalhas e resolver seus problemas do que você um dia será.
O seu dever é confiar nEle para resolver tudo.
 Você pode relaxar em fé, confiando que Deus é capaz de fazer as coisas sem a sua ajuda.
Essa passagem diz duas vezes: “não tenha medo” e “não se sintam desencorajados”. Quando você está diante de uma situação aparentemente impossível, não tenha medo e não se sinta desencorajado.
 Alguma vez Deus perdeu uma batalha? Não. Ele não perde batalhas.
E porque Ele nunca perde uma batalha, nós não devemos ter medo jamais.
Deus tem uma reputação a zelar. Estamos no lado vencedor. Apesar dos problemas ou dificuldades, ou barreiras, ou circunstâncias, ou as desconexões, ou atrasos, no final, estamos no lado vencedor.
Isso é boa notícia. Uma vez que dei minha vida completamente a Jesus Cristo e estou tentando viver para Ele ao máximo, eu não tenho que me preocupar com as coisas pequenas. Posso perder algumas batalhas, mas, no final das contas, estou no lado vencedor.
Há uma frase importante no versículo 17. Deus diz a Josafá: “Postai-vos e ficai parado”.
O que significa “ficai parado”? Significa ter a atitude mental de confiança calma. Não é desejo de Deus que você fuja de uma situação complicada. Eu descobri que quando fujo de uma dificuldade, Deus sempre a traz de volta e me dá uma nova chance. É inevitável. Por que? Porque Deus quer que aprendamos o que Ele quer nos ensinar através das experiências: que em cada situação Ele é suficiente. Ele é competente e capaz e vai preencher nossas necessidades em cada circunstância.
Não temais – medo é o oposto de fé.

 Você deve ficar firme em duas coisas:
1- O caráter de Deus.
Ele é fiel. Ele não nos leva tão longe apenas para nos deixar cair.
Ele não o guia com uma corda para depois cortar a corda fora.
Tenha fé na natureza e no caráter de Deus.

2- A verdade da Palavra dEle.
A Palavra de Deus é fiel.
Você pode contar com as promessas encontradas na Bíblia.


Amém?