16 de mai de 2011

SALMO 119




1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os
que andam na lei do Senhor!

2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam
de todo o coração,

3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente
observados.

5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe
os teus estatutos!

6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus
mandamentos.

7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as
tuas retas ordenanças.

8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo
com a tua palavra.

10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar
dos teus mandamentos.

11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas
as riquezas.

15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua
palavra.
.
17Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua
palavra.

18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o
tempo.

21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos
teus mandamentos.

22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado
os teus testemunhos.

23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo
meditava nos teus estatutos.

24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus
estatutos.

27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas
tuas maravilhas.

28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua
palavra.

29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a
tua lei.

30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas
ordenanças.

31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu
coração.
 
33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o
guardarei até o fim.

34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de
todo o meu coração.

35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me
comprazo.

36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a
cobiça.

37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no
teu caminho.

38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são
boas.

40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua
justiça.
 
41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua
salvação, segundo a tua palavra.

42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na
tua palavra.

43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois
tenho esperado nos teus juízos.

44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me
envergonharei.

47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que
amo, e meditarei nos teus estatutos.

49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste
esperar.

50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me
vivifica.

51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da
tua lei.

52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que
abandonam a tua lei.

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha
peregrinação.

55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.
.
 
57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim,
segundo a tua palavra.

59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os
teus testemunhos.

60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

62 Â meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus
retos juízos.

63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os
teus preceitos.

64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os
teus estatutos.

65 Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a
tua palavra.

66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois creio nos teus mandamentos.

67 Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua
palavra.

68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

69 Os soberbos forjam mentiras contra mim; mas eu de todo o coração
guardo os teus preceitos.

70 Torna-se-lhes insensível o coração como a gordura; mas eu me
deleito na tua lei.

71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus
estatutos.

72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e
prata.
 
73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que
aprenda os teus mandamentos.

74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado
na tua palavra.

75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua
fidelidade me afligiste.

76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra
que deste ao teu servo.

77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva,
pois a tua lei é o meu deleite.

78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem
causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus
testemunhos.

80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não
seja envergonhado.

81 Desfalece a minha alma, aguardando a tua salvação; espero na tua
palavra.

82 Os meus olhos desfalecem, esperando por tua promessa, enquanto
eu pergunto: Quando me consolarás tu?

83 Pois tornei-me como odre na fumaça, mas não me esqueci dos teus
estatutos.

84 Quantos serão os dias do teu servo? Até quando não julgarás
aqueles que me perseguem?

85 Abriram covas para mim os soberbos, que não andam segundo a tua
lei.

86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido
injustamente; ajuda-me!

87 Quase que me consumiram sobre a terra, mas eu não deixei os teus
preceitos.

88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, para que eu guarde os
testemunhos da tua boca.
 
89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus.

90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a
terra, e firme permanece.

91 Conforme a tua ordenança, tudo se mantém até hoje, porque todas as
coisas te obedecem.

92 Se a tua lei não fora o meu deleite, então eu teria perecido na
minha angústia.

93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, pois por eles me tens
vivificado.

94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

95 Os ímpios me espreitam para me destruírem, mas eu atento para os
teus testemunhos.

96 A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é ilimitado.

97 Oh! quanto amo a tua lei! ela é a minha meditação o dia todo.

98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está
sempre comigo.

99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os
teus testemunhos são a minha meditação.

100 0 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os
teus preceitos.

101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua
palavra.

102 Não me aperto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.

103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces
do que o mel à minha boca.

104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço
toda vereda de falsidade.

105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu
caminho.

106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas
ordenanças.

107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha
boca, e ensina-me as tuas ordenanças.

109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da
tua lei.

110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus
preceitos.

111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles
o gozo do meu coração.

112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre,
até o fim.

113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos
do meu Deus.

116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas
que eu seja envergonhado na minha esperança.

117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos
teus estatutos.

118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a
astúcia deles é falsidade.

119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que
amo os teus testemunhos.

120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus
juízos.

121 Tenho praticado a retidão e a justiça; não me abandones aos meus
opressores.

122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não me oprimem os
soberbos.

123 Os meus olhos desfalecem à espera da tua salvação e da promessa da
tua justiça.

124 Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os
teus estatutos.

125 Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus
testemunhos.

126 É tempo de agires, ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.

127 Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, sim, mais
do que o ouro fino.

128 Por isso dirijo os meus passos por todos os teus preceitos, e
aborreço toda vereda de falsidade.
.
 
129 Maravilhosos são os teus testemunhos, por isso a minha alma os
guarda.

130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

131 Abro a minha boca e arquejo, pois estou anelante pelos teus
mandamentos.

132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, conforme usas para com
os que amam o teu nome.

133 Firma os meus passos na tua palavra; e não se apodere de mim
iniqüidade alguma.

134 Resgata-me da opressão do homem; assim guardarei os teus
preceitos.

135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os
teus estatutos.

136 Os meus olhos derramam rios de lágrimas, porque os homens não
guardam a tua lei.

137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a
fidelidade.

139 O meu zelo me consome, porque os meus inimigos se esquecem da
tua palavra.

140 A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.

141 Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus preceitos.

142 A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

143 Tribulação e angústia se apoderaram de mim; mas os teus
mandamentos são o meu prazer.

144 Justos são os teus testemunhos para sempre; dá-me entendimento,
para que eu viva.
145 Clamo de todo o meu coração; atende-me, Senhor! Eu guardarei os
teus estatutos.

146 A ti clamo; salva-me, para que guarde os teus testemunhos.

147 Antecipo-me à alva da manhã e clamo; aguardo com esperança as tuas
palavras.

148 Os meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para que eu
medite na tua palavra.

149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó
Senhor, segundo a tua justiça.

150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; andam afastados
da tua lei.

151 Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.

152 Há muito sei eu dos teus testemunhos que os fundaste para sempre.

153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueço da
tua lei.

154 Pleiteia a minha causa, e resgata-me; vivifica-me segundo a tua
palavra.

155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus
estatutos.

156 Muitas são, Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo
os teus juízos.

157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, mas não me
desvio dos teus testemunhos.

158 Vi os pérfidos, e me afligi, porque não guardam a tua palavra.

159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, Senhor, segundo
a tua benignidade.

160 A soma da tua palavra é a verdade, e cada uma das tuas justas
ordenanças dura para sempre.
.
 
161 Príncipes me perseguem sem causa, mas o meu coração teme as tuas
palavras.

162 Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo.

163 Odeio e abomino a falsidade; amo, porém, a tua lei.

164 Sete vezes no dia te louvo pelas tuas justas ordenanças.

165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça
tropeçar.

166 Espero, Senhor, na tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.

167 A minha alma observa os teus testemunhos; amo-os extremamente.

168 Observo os teus preceitos e os teus testemunhos, pois todos os
meus caminhos estão diante de ti.

169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme
a tua palavra.

170 Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua
palavra.

171 Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.

172 Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus
mandamentos são justos.

173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus
preceitos.

174 Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.

175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas
ordenanças.

176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me
esqueço dos teus mandamentos.
JÓ 42;10 E O SENHOR VIROU O CATIVEIRO DE JÓ,QUANDO ORAVA PELOS SEUS AMIGOS;E O SENHOR ACRESCENTOU,EM DOBRO,A TUDO QUANTO JÓ ANTES POSSUIA.

1º Coríntios 10:23
Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas me convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam.

1Co 2:9 Mas, como está escrito: As coisas que olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram o coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.

Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para sevir de testemunho a seu tempo. T Tm 2: 5-6.


Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e mais Ele o fará.
Salmo 37:5.
Senhor, perdoe nossos pecados, em nome do sangue de Jesus Cristo.

Amém.

6 de mai de 2011

O Mundo Espiritual



“....O Senhor abriu os olhos do moço,e ele viu que o monte estava cheio de cavalos em redor de Eliseu”    ll Rs 6:17

O que é o mundo espiritual?
Vivemos em um mundo natural,o qual vemos e tocamos.
Estamos rodeados por um sistema que interfere em nossas vidas e somos influenciados por tudo aquilo que é visível e que os nossos sentidos naturais (olfato,paladar,audição,visão e tato)podem captar;porém,além disso tudo há uma realidade que se processa paralelamente sem que a maioria das pessoas se dê conta disso – é o mundo espiritual.
No mundo espiritual convivemos com situações que  não são perceptíveis aos nossos sentidos,mas pela presença do Espírito que está em nós  nos tornamos sensíveis aos valores espirituais.
Os termos que comumente se referem ao mundo espiritual são:  céus,as alturas,na glória,Nova Jerusalém,paraíso,reino dos céus,etc..
Um dia todos nós conheceremos plenamente aquilo que conhecemos em parte através do Espírito de Deus,e estaremos com o Senhor na glória.Até lá,porém,influenciamos o mundo espiritual aqui da Terra através das nossas orações,jejuns,posicionamentos e palavras,e  é a dimensão onde Deus habita,e é o espaço em que as hostes do mal também se movem.
O ponto principal que precisamos saber é que nos foi dado poder para alterar o mundo espiritual,e que essas alterações refletem diretamente no mundo natural a nosso favor e a favor do Reino de Deus.

CONCLUSÃO:  “Jesus nos deu poder para afetarmos o mundo espiritual – este,por sua vez,afeta o mundo natural ao nosso redor,portanto as chaves estão conosco!”

2 de mai de 2011

A importância dos relacionamentos



 
Corte ou Namoro? Relacionamento radical
Deus valoriza os relacionamentos a ponto de resumir a Lei e os mandamentos a dois: “amar a Deus sobre todas as coisas” e “amar ao próximo como a si mesmo” (Mt 22.35-40). O Senhor está trazendo para nossa geração uma mudança de mentalidade em relação aos relacionamentos. O Senhor nos convida, portanto, a uma mudança radical em nossa maneira de nos relacionar.

Deus não está interessado em restringir e cercear nossos prazeres. Na verdade, Ele quer nos ensinar um caminho mais excelente, que nos levará a experiências amorosas em um nível arrebatador no casamento. Tanto a fornicação quanto a santidade são caminhos opostos e inconciliáveis, que você deverá escolher, e não apenas linhas divisórias que colocamos como limites para os relacionamentos.

1 - Corte: O Caminho Maravilhoso de Deus

Aqueles que optam por esse caminho têm trocado momentos rápidos de prazer no pecado por uma “eternidade” de vida e paz com a esposa e família. Ao contrário do que você imagina, a Corte levará você a momentos inesquecíveis de sexo, paz e prazer com o seu futuro cônjuge. Sexo é algo divino, santo e maravilhoso, porque foi criado por Deus. Deus é bom e foi Ele quem criou o sexo.

Muitas vezes, somos pressionados pela sociedade, família e pelos amigos para darmos provas da nossa sexualidade. No entanto, você não deve ceder a estas pressões. Deus não errou ao criar o sexo. A atração sexual não é algo do diabo. Ela foi criada por Deus. O pecado, por sua vez, perverteu o dom da atração em lascívia. A paixão é o fogo que Deus criou para culminar no ato sexual. A paixão não é indomável e descontrolada. A Corte não é uma regra, é o caminho de Deus para quem está cansado de sofrer e se decepcionar com o padrão mundano de relacionamento: o namoro.

2 - O Amor Que Pensa


Precisamos avaliar: será que haveria alguma outra maneira, que não o namoro, de nos envolvermos romanticamente num relacionamento que leve ao casamento? Será que Deus nos reserva algo assim? Gostaria de falar sobre a sabedoria do amor.

Leia Filipenses 1.9,10. O que a Bíblia diz? Que você precisa usar a cabeça para avaliar o tipo de relacionamento e de sentimento que está tendo, a fim de que seu amor seja sincero e íntegro e não apenas uma paixão desenfreada. É por causa das paixões exageradas que não existe inteligência funcionando para avaliar. No mundo, o namoro é um relacionamento de curto prazo, que visa somente à auto-satisfação, ou seja, o que importa é satisfazer os próprios desejos.

Será que a base do amor é fazer sexo com uma mulher, mesmo sabendo que irá ferir o seu coração e atrapalhar o relacionamento dela com Deus? Será que uma moça que se envolve com um rapaz apenas até o momento em que encontra outro melhor também foi movida pelo amor?

O amor inteligente vê lá na frente. Além de glorificar a Deus no relacionamento, o amor consiste em servir e abençoar a pessoa amada. Há tempo para tudo na vida. Existe o tempo de se casar, mas também existe o tempo de se estar solteiro.

Para nós, santidade é muito mais do que não transar. Como jovens solteiros, a santidade deve fazer parte de nossas mentes, corações, pensamentos e atitudes. Às vezes, nos preocupamos com a pressão dos amigos e das pessoas dizendo que devemos namorar. Mas, no Dia do Juízo, que satisfação você terá que dar sobre as pessoas que você arrebentou, com seus relacionamentos de curto prazo?

3. Pontos negativos do namoro

Vejamos esses pontos, juntamente com algumas experiências também compartilhadas por nós.

a. O namoro leva à intimidade, mas não necessariamente a um compromisso.

Qual é a idéia principal na maioria dos namoros? Geralmente o namoro estimula a intimidade pela própria intimidade. Duas pessoas ficam juntas sem nenhuma real intenção de compromisso de longo prazo. É como escalar uma montanha com uma parceira sem saber se ela quer a responsabilidade de segurar a sua corda, e lá em cima desiste do acordo. A intimidade sem compromisso desperta desejos emocionais e físicos que nenhum dos dois podem satisfazer se agirem corretamente.

Paulo, em 1Ts 4.6, chama isso de “defraudar”, que é “roubar alguém ao criar expectativas mas não satisfazendo o que foi prometido, despertando uma fome que não podemos satisfazer justamente”.

b. O namoro tende a pular a fase da amizade.

Quando você é amigo de alguém, você não se preocupa em ser outra pessoa que não você mesmo. Na amizade, você é o que é, e pronto. Quando você entra no namoro, você usa máscaras. Quando nos maquiamos, estamos apenas tentando ganhar o outro.

c. O namoro confunde relacionamento físico com amor.

“É tão óbvio que nós nos amamos”, pensa alguém que prematuramente se relacionou intimamente. Só porque lábios se encontraram, não quer dizer que corações se uniram. O relacionamento físico não é igual ao amor. A nossa cultura como um todo entende as palavras “amor” e “sexo” como sinônimas e confundem atração física e intimidade sexual com verdadeiro amor.

d. O namoro isola o casal de outros relacionamentos.


Quando nos envolvemos no namoro nem percebemos que, egoisticamente e de forma tola, nos privamos de outros relacionamentos tais como, pais, irmãos e amigos. O resto do mundo vira um pano de fundo esmaecido; os que já saíram de vela sabem disso. Esse é um dos piores problemas do namoro

e. O namoro, em muitos casos, tira a atenção dos jovens adultos de sua principal responsabilidade, preparar-se para o futuro.

Uma das tendências mais tristes do namoro é desviar os jovens adultos do desenvolvimento dos seus talentos e habilidades dados por Deus.

f. O namoro pode causar desgosto com o dom de permanecer solteiro dado por Deus.

Deus vê a nossa paixão por relacionamentos de curta duração como se fôssemos uma criança que ganhou um bicicleta novinha, mas prefere brincar com a caixa de papelão que embalava a bicicleta.

g. O namoro cria um ambiente artificial para avaliar o caráter de outra pessoa.

O namoro cria um envolvimento artificial para duas pessoas interagirem. Conseqüentemente, cada pessoa pode facilmente apresentar uma imagem igualmente artificial. É necessário ver o outro nas situações reais da vida com familiares e amigos.

4. Tomando decisões para vencer os problemas de relacionamentos

a. Renovando a mente pela Palavra de Deus


Se vamos mudar o padrão mundano do namoro, precisamos ter uma atitude nova com relação à maneira de se relacionar. Temos uma mentalidade errada sobre a cruz. A cruz é a vontade de Deus. Ela é a vontade de Deus para nós. Se você conheceu a pessoa e não a tocou, não agarrou, então, você poderá encontrá-la depois sem acusação, sem culpa, sem constrangimentos.

b. Evitando o constrangimento

Um grande problema no meio da igreja é que há muitas pessoas nascidas de novo, mas suas maneiras de pensar ainda são antigas, são “gregas”. O mundo colocou na sua cabeça uma mentalidade errada, você acha normal e sua mente se acostumou com isso.

c. O verdadeiro amor

Essa é uma mentalidade mundana. Amor não é isso. Amor é compromisso. A verdadeira alegria está em você encontrar alguém para fazer feliz! Viu a diferença? Isso é amor, sempre buscando o melhor para o outro. Há padrões errados e a Bíblia diz que temos que mudar. O relacionamento para nós, radicais, não é um pequeno ajuste que os crentes fizeram no namoro tirando o sexo e continuando com tudo mais que envolve a lascívia, como beijos, abraços e amasso; é conversão total a essa mentalidade, é corte completo em todo e qualquer contato físico que nos leva à impureza, é uma amizade comprometida com um possível casamento debaixo da benção, acompanhamento e permissão dos pais.

d. Um relacionamento é uma oportunidade para se viver o amor genuíno de Deus.


A Bíblia fala que o mundo vai nos conhecer quando amamos uns aos outros de verdade. Uma mentalidade mundana que temos é que os homens não olham pra mulher como ser feminino da criação, mas sim como uma namorada em potencial.