20 de jun de 2011

Espiritualidade e Religião



Espiritualidade é a experiência humana do sagrado, transcendente, divino. 
Religião é a maneira como o ser humano organiza e vivencia sua experiência de transcendência. Espiritualidade é uma experiência humana universal.
 Religião é uma experiência humana condicionada a dogmas, ritos, códigos morais e grupos de pessoas que acreditam nas mesmas coisas e celebram sua espiritualidade da mesma maneira. As religiões mais conhecidas no mundo são Judaísmo, Cristianismo, Islamismo, Hinduísmo e Budismo. A espiritualidade é o que os seres humanos têm em comum. Por exemplo, tanto o Dalai Lama quanto o Papa Bento XVI embora adotem religiões diferentes, um é budista, o outro é cristão, têm em comum a espiritualidade.
Em termos simples, assim como o ser humano tem corporeidade (relação com o corpo) e racionalidade (relação com a mente), também tem espiritualidade (relação com as realidades espirituais). 
Religião é maneira como cada ser humano desenvolve e pratica sua espiritualidade. Espiritualidade tem a ver com os atributos do espírito humano: razão, emoção, volição, consciência e auto-consciência. Religião está relacionada ao mundo dos espíritos, supra humanos ou sobrenaturais. 
Espiritualidade é aquilo referente às virtudes do espírito: amor, compaixão, solidariedade, generosidade, perdão e justiça. Religião trata mais das regulações morais, objetivas: pode, não pode, em detrimento das virtudes subjetivas.
Dentro de cada religião existe um número variado de maneiras de vivenciar a espiritualidade. Por exemplo, no Cristianismo a espiritualidade pode ser vivida de uma forma Católica Romana e outra Protestante, e mesmo dentro do catolicismo e do protestantismo, existem ramificações variadas: uma coisa é a Canção Nova, outra as Comunidades Eclesiais de Base, um é o catolicismo carismático, outro o catolicismo da teologia da libertação. No protestantismo também, um é o cristianismo de Santo Agostinho, Tomás de Aquino e dos célebres reformadores Martinho Lutero e João Calvino, outro o cristianismo do pentecostalismo e do neo-pentecostalismo.
Observe também a variedade do judaísmo. Há o judaísmo ortodoxo rabínico, com seu foco na tradição da Torah, do Tanakh e do Talmud, e o judaísmo hassídico, com sua ênfase na mística, além da versão cabalista e das diferenciações resultantes da territorialidade: os sefardistas, da Península Ibérica, e os asquenazes, da Europa Central e Oriental. O mesmo acontece com o Islamismo, com seus ramos sunita, hegemônico e mais tradicional, os xiitas, a minoria radical considerada dissidente, e a versão mística do sufismo, que alguns muçulmanos nem mesmo consideram identificada como Islã.
O budismo possui também sua variedade, considerando aspectos doutrinais e populares e suas principais versões: indiana e tibetana. Embora seja considerada uma filosofia não teísta, que o teólogo alemão Karl Barth considerava “uma religião sem Deus”, o chamado budismo popular possui características mágicas de culto a divindades diversas. Assim como o Hinduísmo, que não tem um sistema unificado de crenças codificado numa declaração de fé ou um credo, e engloba a pluralidade de fenômenos religiosos relacionados às tradições vêdicas. O Hinduísmo costuma ser definido com mais frequência como uma tradição religiosa, a mais antiga e a mais diversa das religiões mundiais.
As generalizações religiosas servem como categorias sociológicas e ajudam a compreender as diferentes tradições, mas dizem muito pouco a respeito da espiritualidade de seus praticantes. Categorias religiosas não são suficientes para conter a grande diversidade das relações humanas com o sagrado e o divino. Dizer qual é a sua religião sugere alguma coisa, mas não diz muito a respeito de sua espiritualidade. 
É mais fácil encontrar uma pessoa religiosa, do que um espírito livre e capaz de amar.

3 de jun de 2011

A Bíblia




"Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz,e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes,e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito,juntas e medula, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração" -  Hb4:12

Que é a Bíblia?

A palavra Bíblia vem do termo grego "bìblos" ,que significa "livro",tratando-se do livro mais importante para os cristãos,pois narra toda a trajetória do homem,desde a sua criação até a Assunção de Jesus ao céu e o estabelecimento de Sua igreja sobre a Terra,a qual dá continuidade a toda a Sua obra,conforme é descrita principalmente,no livro dos Atos dos Apóstolos.
Tudo isso,porém,não é trazido numa ótica puramente histórica ou científica,mas espiritual,e tem por objetivo colocar em destaque a relação de Deus com o homem através de Suas alianças: a anterior,chamada de Novo Testamento.

A Bíblia é um livro espiritual,que não tem como objetivo primordial aprimorar a cultura do leitor,embora possa acrescentar-lhe algo nesse sentido;o seu foco,porém,está em trazer a plena revelação da vontade e da pessoa de Deus aos Seus servos,sendo três os seus aplicativos -   exortar,edificar e consolar.
Para tanto,é necessário que,mais do que ser lida,ela seja buscada em parceria com o Espírito Santo, o qual é o único capaz de no-la revelar.
Sendo a Bíblia a carta de Deus aos seus servos ,é de primordial importância que dediquemos tempo a sua leitura.

Na verdade,existem dois fundamentos que devem ser as práticas diárias de um cristão:

1- é a oração,na qual damos a Deus conhecer o nosso coração.
2- é a leitura bíblica,na qual entramos em contacto com o coração de Deus e,através de Sua forma de pensar,somos transformados.

Ler a Bíblia nos alimenta espiritualmente,e assim como não podemos deixar de comer a comida natural para que o nosso corpo físico não fique debilitado,assim também precisamos nos alimentar da Palavra para que tenhamos força espiritual para resistirmos ao inimigo e para buscar as promessas de Deus.
A bíblia é uma compilação de 66 livros , que embora escritos em diferentes períodos da história que compreende aproximadamente 4.000 anos ,por diferentes pessoas - cerca de 40 diferentes escritores _,como todas as coisas de Deus têm uma indecifrável unidade por possuir apenas um autor ---
 o Espírito Santo - ,o qual inspirou tais homens a escrevê-la.

" A Bíblia toda,de Gênesis a Apocalipse,tem uma única figura central,a saber, Jesus Cristo- a Palavra é o seu retrato,pois Ele é a Palavra(Jo1:1-2 ).Se você quer conhecê-lo melhor, uma excelente forma de fazê-lo é lendo a Bíblia."

Deus os abençõe.