13 de dez de 2010

O próposito da glória de Deus em nós


Por que Deus permite manifestar a Sua Glória dentro de nós?
 – Bem, para compreendermos isso, temos que saber primeiro que Deus é um Deus de propósito.
 E, segundo, que ao criar o homem, Ele o fez com um alvo: relacionamento. Só podemos saber o intento de um objeto na mente de quem o idealizou. O propósito de uma criação está na mente do seu criador.

Deus colocou semente nos homens. Por quê?
 – Porque Ele trabalha com linhagens e gerações e queria que o homem “plantasse” as sementes. Ele não é Deus de um homem só; é o Deus de Abraão, de Isaque, de Jacó, de Israel e da Igreja.
Ele transcende gerações e coloca nos homens capacidade de guardar o que são capazes de gerar.
Deus quer que geremos – é fato. Mas não é só isso. Ele quer que sejamos mentores do desígnio daqueles a quem geramos, passando-lhes o Propósito.
Quando Deus criou o Adão biológico (Gn 1:28), colocou-o nas trevas de um planeta dominado, para que ele, como agente de Deus, manifestasse a Sua luz; para que do caos ele pudesse extrair beleza e prazer. Nós somos a luz deste mundo trevoso e não podemos nos esquecer de que precisamos levar a luz por onde formos.
Estamos ainda no meio do caos porque Deus ainda tem um propósito para que estabeleçamos beleza e ordem no meio da desgraça. Isso vai além de estarmos na igreja aprovados moralmente, de sermos “santinhos” para um dia morarmos no Céu.
 Precisamos ser iniciadores e disseminadores de linhagens – linhagens santas e separadas pra Deus.
Você não sabe o que vai dentro de uma criança, nem o que ela poderá vir a ser, mas poderá semear nela o que Deus quer que ela seja, e crer que Deus é fiel para abençoar a sua semente, porque Ele disse que em Abraão todas as famílias da Terra seriam benditas.

Alcançar um propósito é a fonte de toda e verdadeira realização. Sem propósito a vida deixa de ser uma experiência realizadora e passa a ser só experimento; ou seja, nada.
Quando o propósito de Deus não é conhecido, o desperdício da vida é inevitável.
Você não é como é por acaso; Deus o projetou para um alvo especial. O alvo de Deus para cada homem é que ele seja um iniciador de uma linhagem para Deus e que seja como um vaso que contenha a Sua glória. Quando nascemos de novo, o propósito de Deus começou a se desenvolver em nós: começamos uma linhagem; uma geração.
 E Deus quer que ela seja para a Sua glória.
 Você pode entender isso?

No Velho Testamento há seis palavras em hebraico que são traduzidas para “homem” no português, mas cada uma delas tem um significado diverso e específico. Só de conhecermos o seu significado, já temos boa parte do propósito de Deus revelado, com respeito ao que Ele espera de nós como Suas criaturas e filhos.

1. Adam. Significa: “criado para um grande propósito”.
2. Zacar. Significa “gerar”.
3. Guibor. Significa “guerreiro”.
4. Enoch. Significa “feridas” acumuladas no trabalho de Deus.
5. Iche. Significa “eu tenho experiência”.
6. Zaquem. Significa “maduro”; “pai”.

Veja bem. Se seguirmos os significados que o termo “homem” tem na Bíblia, veremos o propósito de Deus nitidamente.
 Primeiro, existimos para algo maior do que simplesmente comer, beber, dormir, nos divertir, alcançar sucesso e morrer.
Existimos para glorificar ao nosso Criador.
Para que a glória de Deus se expresse através de nós de forma adequada, melhor que nos multipliquemos em milhares de vasos disponíveis a mostrar a Sua expressão ao mundo. Isso é gerar. Mas claro que o gerar traz embutido o princípio de cuidarmos de quem geramos.
Mas devemos também lutar pelos outros; pelos irmãos mais fracos; pelos filhos que geramos; até vê-los maduros e cheios de encargo por outros. Deus espera que protejamos e defendamos aqueles a quem geramos.
Nossos filhos dependem de nós enquanto crianças. Somos responsáveis por guardá-los do mal.
Enquanto apascentamos as ovelhas que Deus nos dá, muitas vezes nos ferimos – isso também é fato.
 Na vida cristã vitoriosa, são muitas as cicatrizes que acumulam os obreiros que não retrocedem.
Elas são as marcas de Jesus, que vão além de cicatrizes físicas.
São marcas de investimentos que não deram certo, de traição, de preços pagos por quem nunca deu valor - cicatrizes da Obra; sangue vivo nas mãos que semeiam entre espinhos; calos forjados pela Cruz.
Estas são as marcas de quem suporta pressão e ataques do inimigo por guardar a vida do próximo.
Todos precisamos passar por estas fases para amadurecermos na fé e na experiência com Deus. Mas nelas é que vemos com mais nitidez a Sua glória.
A experiência traz consigo o encargo e a autoridade para ensinar a outros; para mentorear. É tempo de treinarmos líderes e despertarmos potencial nas ovelhas a quem apascentamos.
Deus quer que você seja um investidor; um treinador.
 O bom pai não é aquele que só põe comida no prato do filho; é aquele que o guarda de influências maléficas e mentoreia seu potencial.
Uma coisa é experimentarmos a glória de Deus; outra é investirmos essa glória em gente, para que ela atinja e mude a vida de outros. Quando falo disso, falo da edificação de uma geração.
Deus deseja que sejamos instrumentos em Suas mãos para gerarmos uma linhagem capaz de cumprir o Seu propósito.
Nós já somos o fruto da linhagem de alguém no passado – a partir de Abraão.
Mas, o que Deus deseja para nós vai muito além disso.

A Bíblia não é cheia de genealogias à toa. Deus respeita as gerações. Ele é o Deus de Abraão, mas também de Isaque, de Jacó, de Israel, etc. O propósito de Deus é que cada um de nós comece uma linhagem santa, expressa pelos nossos filhos naturais e também pelos nossos filhos espirituais.
Precisamos ter a consciência de que a partir de nós também, Deus vai começar uma linhagem, uma geração santa e consagrada. E para que Ele tenha isso, precisamos estar dispostos a pagar o preço que a Obra requer.
Eu posso dizer-lhe que estou totalmente envolvido nesse projeto. E quanto a você? Está pelo menos disposto a se envolver?