27 de fev de 2011

A vontade de Deus



Quando falamos sobre a vontade de Deus, é interessante que a maioria das pessoas, dizem que querem fazê-la. Ninguém diz que tem dificuldade em executá-la, mas tem dificuldade em saber qual é essa vontade. No tocante a mim, eu digo que tenho muito mais dificuldade em fazer a vontade de Deus, do que saber qual é a vontade de Deus. A minha percepção é que falamos muito e fazemos pouco, no tocante à vontade de Deus.

Considerações sobre a vontade de Deus.

Primeira – por ela, define se somos filhos.
Aqueles que fazem a vontade de Deus são chamados de irmãos do Senhor, ou seja, fazem parte da família de Deus. Mc 3:35. Aqueles que fazem a vontade de Deus é que entrarão no reino dos céus, ou seja, são os filhos de Deus . Mt 7:21.

Segunda – é o mais importante de nossas vidas.
 Quando os discípulos de Jesus estavam insistindo para Ele comer, o Senhor disse que Ele tinha uma comida que eles não conheciam. Essa comida era fazer a vontade de Deus. Dessa forma, Jesus colocou a vontade de Deus acima de qualquer coisa, pois, comida é algo essencial para sobrevivermos. No conceito de Jesus, a sobrevivência Dele dependia de fazer a vontade do Senhor. Jo 4:34.

Terceira – todos os que são alinhados com Deus, fazem a Sua vontade.
Em atos, o apóstolo Paulo disse que Deus estava procurando um homem que tivesse o Seu coração, para que pudesse fazer toda a Sua vontade. Ele achou Davi. At 13:22.

Quarta – é insensatez não fazer a vontade de Deus.
Como a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Rm 12:2), não fazê-la é insensatez. Ef 5:17.

Quinta – conquistar as promessas de Deus, depende de fazer a Sua vontade.
As promessas de Deus, em sua maioria, dependem de perseverarmos na vontade de Deus. É necessário vencermos os inimigos da promessa: o diabo, a carne e o mundo. Somente quando ficamos completamente amalgamados na vontade de Deus, é que temos vitórias sobre nossos inimigos. Hb 10:36.

Consequências de não fazer a vontade de Deus.

Esforço inútil – podemos trabalhar muito e ainda assim, não conquistarmos o que desejamos. É como se nadássemos, nadássemos e morrêssemos na praia. A palavra de Deus diz que é inútil o trabalhador acordar cedo e trabalhar, se esforçar e insistir em conquistar coisas, se Deus não o estiver abençoando. Sl 127:1-2.

Sentimento de erro – quando nos convertemos, o Espírito Santo vem e é amalgamado em nosso espírito. A partir daí, o nosso espírito percebe toda a vontade de Deus para nós, através da consciência. Deus sempre fala conosco, através do Espírito Santo em nosso espírito. Por isso, quando nós não estamos na vontade de Deus, algo no nosso interior (o nosso espírito é a coisa mais interior que temos) clama por mudança, daí esse sentimento de erro.

Perdas – todas as vezes que saímos da vontade de Deus, há algum tipo de perda em nossas vidas. Sejam elas no casamento, na família, nas finanças, nos relacionamentos, ou ainda na saúde. O fato é que seremos roubados pelo diabo, que vem para matar, roubar e destruir (Jo 10:10), porém dentro da vontade de Deus, ele não consegue fazer isso. Quando saímos, somos presas fáceis para o diabo.

Cansaço – nós fomos criados para um determinado propósito, e quando estamos fazendo outras coisas fora desse propósito, há cansaço de alma. O cansaço de alma é aquele que não adianta dormir, ele não passa. Por isso Jesus disse que, aqueles que estão cansados devem procurá-lo para terem suas vidas mudadas, pois o fardo de Jesus é leve e suave. Mt 11:28-30. Ou seja, o que Deus tem para mim e para você, em hipótese alguma cansa. Se há cansaço é porque está fazendo a coisa errada, ou está fazendo com o motivo errado. Em Is 40:31, o Senhor diz que aqueles que esperam em Deus não se cansarão, ainda que andem ou corram, terão suas forças renovadas.

Pré-condições para ouvir a vontade de Deus.

Novo nascimento – quem não nasceu da água e do Espírito (Jo 3:5) terá muita dificuldade de ouvir a voz de Deus, pois não tem a mesma natureza. Deus estará falando e ele não entenderá. As novas criaturas tem, normalmente, facilidade em ouvir o Senhor.

Sinceridade – a razão de saber a vontade de Deus é determinante para ouví-Lo. Para que a pessoa quer ouvir Deus? Para fazer ou para julgar a Sua vontade? Tem pessoas que querem saber a vontade de Deus para saber se farão ou não. Essas nunca ouvirão o que Deus tem para elas. Porém aquelas que verdadeiramente querem cumprir vontade de Deus, o Senhor as responde.

Cumprir o que já foi dito – quando alguém busca a vontade de Deus e ainda não fez, o que Ele falou antes, não vai ouvir novamente a voz de Deus. Porque Deus falaria novamente, se a pessoas não tem disposição de fazer o que vai ser dito? Em Lc 6:46-49, Jesus aborda esse assunto e ainda chama essas pessoas de insensatas.

Sensibilidade – é necessário sensibilidade ao Espírito Santo para ouví-Lo. Essa sensibilidade é resultado de uma vida santa, íntima de Deus, com sentimentos controlados pelo Espírito e cheia da palavra de Deus. Se há pecados, com certeza seremos insensíveis à voz do Espírito. Se não há intimidade, como conheceremos a voz de Deus? Se somos dominados por sentimentos contrários à palavra de Deus, os nossos ouvidos estarão fechados para Ele. Quando não conhecemos a palavra de Deus, somos presas fáceis para o diabo nos enganar usando a voz de Deus como se fosse Ele. Porém, quando conhecemos a Sua palavra não é possível sermos enganados.

Testes para saber se é a vontade de Deus

Primeiro – Convicção.
Toda vontade de Deus, gera em nós, uma convicção interior. Às vezes você não sabe explicar, mas sabe o que deve fazer. Normalmente quando acontece isso, é a vontade de Deus. Não podemos confundir convicção com obsessão, com obstinação. Isso é maligno. Uma boa forma de diferenciar as duas coisas, é que a obsessão não tem amparo na palavra de Deus e a convicção da vontade de Deus, sempre está amparada na palavra. Jesus, em Lc 9:51, expressava uma firme convicção de ir para Jerusalém. Era da vontade de Deus que ele morresse lá. Por isso, a convicção de ir para lá. Não há vontade de Deus, que não comece com uma convicção interior.

Segundo – Harmonia com a vontade escrita.
 Toda vontade de Deus que começa com uma convicção interior, tem que ter amparo na palavra de Deus. A bíblia é a vontade de Deus escrita. Como Deus é perfeito e não muda nunca, justamente por ser perfeito não há necessidade de mudança, qualquer coisa que pensarmos que é a vontade de Deus, obrigatoriamente, tem que harmonizar com o que Deus já falou antes. Não abra mão em hipótese alguma desse teste. De vez em quando, chega uma pessoa solteira e me diz que tem uma convicção que uma determinada pessoa será seu cônjuge. A primeira pergunta que eu faço é: essa pessoa é crente? Quando a resposta é não, eu logo digo: essa convicção não é da vontade de Deus. Porque eu posso afirmar isso? A vontade de Deus escrita, a bíblia, diz que casamento só pode ser feito com pessoas da mesma estirpe. Um incrédulo, ainda não se tornou uma nova criatura. Mas, e se ele se tornar? Então espere isso acontecer.

Terceiro – Paz.
 Em colossenses 3:15ª, a palavra de Deus diz que seja a paz de Cristo o árbitro de vosso coração. Árbitro é juiz. Quando o juiz de uma partida de futebol apita, o que os jogadores fazem? Eles param até que o juiz decida o que fazer e somente depois, eles continuam. Assim deve ser quando perdemos a paz de Cristo, devemos parar e só continuar depois que ela voltar aos nossos corações. Essa é uma forma direta de percebermos a vontade de Deus ou de testarmos se algo é de Deus ou não. Jesus, quando chegou no Getsêmani, disse aos Seus discípulos que Sua alma estava angustiada até a morte. Qual a razão dessa angústia? Ele estava pensando em outra forma, que não fosse a cruz, para resolver o problema do homem. Mas Deus já tinha definido que a única forma de resolver a questão era indo para a cruz. O simples fato de Jesus pensar em outra coisa, que não fosse a vontade de Deus, já O deixou completamente angustiado. Tão logo Ele concluiu que não havia outra forma e ajustou-se a fazer a vontade de Deus, a paz voltou ao Seu coração. Se isso aconteceu a Ele, imagine conosco.

Quarto – Harmonia com os conselheiros.
 Em Pv 12: 15 e 15:22, a palavra de Deus diz que sem conselhos os projetos naufragam. É melhor aconselhar-se, antes de fazer algo, para que tenha bom êxito no projeto proposto. Em nossas vidas, Deus levanta pessoas para andarem conosco. São pessoas que Deus preparou para falar em nossas vidas. Essas pessoas precisam ser envolvidas em nossas decisões. Quando temos uma convicção que passou pelo teste da palavra e da paz, é necessário que passe também por esse teste. Se Deus falou com você, não falará também com aquele que Ele mesmo levantou para te apoiar na caminhada Cristã? Não estou dizendo que você deve ficar falando com qualquer pessoa, estou dizendo que você sabe quem Deus levantou para falar na sua vida. É importante ouvir essa ou essas pessoas, e ter harmonia com elas. Não são elas que decidirão sua vida, é você mesmo quem fará isso, porém ande em harmonia.

Quinto – Confirmação.
Depois de passar por esses quatro testes, você pode concluir o período de testes com a confirmação. A confirmação é algo que vai acontecer com você, que dará certeza absoluta se é ou não a vontade de Deus. Pode ser uma palavra profética, um sonho ou algo que você pediu a Deus que acontecesse, caso aquilo fosse da vontade Dele.  Não abra mão desse teste.

Conclusão

Não podemos ter dúvidas das coisas que vamos fazer. Normalmente, as dúvidas destroem nossas vidas. Quando decidimos algo, ainda que seja a vontade de Deus, e começamos a executar, com certeza haverá dificuldades, adversidades e coisas do gênero. A certeza de que estamos fazendo a vontade de Deus é que nos impulsionará a vencer essas tribulações. Se faltar essa certeza, nós vamos parar nos problemas e nunca terminaremos nada.
Você não quer ter uma vida de fracassos, quer? Então, antes de começar qualquer coisa, tenha certeza de que Deus está nisso.

Amém ?