2 de jul de 2010





Virtudes e servidão ao Senhor



“Sua fé é segundo a conveniência?

Uma das virtudes de uma pessoa é a honestidade. Outra, a coerência. E que coisa difícil é ser coerente! Porque nos entregamos com freqüência aos interesses pessoais, e é isso o que atrapalha o desenvolvimento dessa virtude louvada pela Bíblia: Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? ... aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda(Salmo 14.1.4).

Honestidade e coerência estão implicadas nesta questão de quem habitará a casa de Deus, ou morará no seu santo tabernáculo, no seu templo. O salmista pergunta a Deus, e ele mesmo responde, parece-nos, segundo as maiores dificuldades dos homens. E uma das maiores dificuldades diante da fé pura e simples é a coerência, a honestidade diante da conveniência.

Que quero dizer com isso?

Que há momentos de reflexão em que chegamos à conclusões diante da Palavra de Deus, temos a nítida revelação daquilo que Deus aprova ou requer de seus filhos perante determinado assunto ou situação. Nos convencemos daquilo. Aí pregamos aos quatro ventos isso a todo aquele a quem possa interessar. Anunciamos com veemência a verdade que acabamos de descobrir. Mas quando essa situação nos é contrária achamos pontos de escape na Palavra de Deus, e por esses pontos escapamos rapidamente para não sermos pegos.

Ora, Deus não faz acepção de pessoas, e por isso aquilo que um dia descobrimos ser a vontade expressa por Deus tem que valer para nós também. Não posso exigir de alguém o que não posso fazer. Não posso acusar alguém de algo que também eu pratico. Acusar não; talvez possa conversar, trocar idéias, manifestar apenas a minha posição e deixar claro que também eu não me enquadro no padrão de Deus.

Mas não posso condenar alguém que faz o que eu faço. A não ser que eu me corrija e me torne um modelo cristão vivo. Pois é o que muitos de nós fazemos: você tem que se enquadrar nesta exigência bíblica, mas eu... Bem... O plano de Deus para mim é diferente, e você não entende. Creio que Deus também não entende que plano é esse que só vale para alguns!

Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? ...Aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda. Isso quer dizer que se algo é condenado por você, quando você se ver numa situação semelhante você também deve condenar-se, julgar-se culpável, réprobo, indigno.

Jesus acusou os fariseus de exigir que os judeus levassem um fardo tão pesado que eles mesmos não queriam levar ao menos com um único dedo. Paulo acusou a Pedro diante de muitos cristãos, porque Pedro exigia uma coisa dos crentes gentios e pregava contrário diante dos judeus. Falta coerência, honestidade diante das circunstâncias. Isso é ter uma fé segundo a conveniência, e não segundo as convicções cristãs.

Não nos deve interessar essa fé segundo as conveniências, antes, devemos buscar a convicção sobre determinada posição e nela permanecer firmes. E ainda que isso nos cause dano, como diz o texto do Salmo, devemos permanecer firmes naquela posição, não mudar.


DEUS é Fiel,e nunca nos abandonará.